Saúde das crianças e jovens

Acesso aos cuidados de saúde

Na maternidade, o bebé é inscrito no Sistema Nacional de Saúde, recebe o Boletim de Saúde Infantil e Juvenil, e é associado ao/à médico/a de família da mãe. Durante o primeiro ano de vida, o bebé terá consultas mais frequentes. 

O “teste do pezinho” é feito entre o 3.º e o 6.º dia de vida, nas maternidades, hospitais ou Centros de Saúde. De acordo com o Programa Nacional de Vacinação, os pais devem levar os bebés ao Centro de Saúde para tomarem as vacinas da BCG e anti-hepatite B, caso o bebé não tenha tomado na maternidade.

Consultas de pediatria

Durante o primeiro ano de vida do bebé, as consultas de acompanhamento pediátrico são frequentes. Após essa idade, começam a ser mais espaçadas. 

Verifique no quadro a periodicidade das consultas em idade pediátrica.

IdadesConsultas de acompanhamento
Primeiro ano1.º semana de vida / 1 mês / 2 meses / 4 meses / 6 meses / 9 meses
1 - 3 anos12 meses / 15 meses / 18 meses / 2 anos /3 anos
4 - 9 anos4 anos
5 anos - exame global de saúde para avaliar a existência de competências para o início da aprendizagem
6 ou 7 anos (quando terminar o 1.º ano de escolaridade) - para deteção precoce de dificuldades específicas de aprendizagem
8 anos
10 - 18 anos10 anos (quando começar o 2.º ciclo do ensino básico) - para preparar o início da puberdade e a entrada para o 5.º ano de escolaridade
12 ou 13 anos - exame global de saúde
Entre os 15 e os 18 anos

 

As crianças e jovens até aos 18 anos têm acesso a cuidados de saúde gratuitos nos centros de saúde e hospitais do Serviço Nacional de Saúde, estando isentos de taxas moderadoras.

Sempre que a criança for a uma consulta (seja no sistema público ou privado), deverá apresentar o Boletim de Saúde Infantil e Juvenil, onde está registado o calendário das consultas de acompanhamento, vacinação e informação sobre o desenvolvimento da criança. 

Os registos dos profissionais de saúde ficam também disponíveis no e-Boletim de Saúde Infantil e Juvenil, que está disponível na Área do Cidadão do portal do Serviço Nacional de Saúde

COVID-19: É importante que as consultas e plano de vacinação sejam mantidos. A DGS disponibilizou orientações sobre consultas de vigilância, rastreio e vacinação durante o período de pandemia.

Saúde oral

A importância da saúde oral começa no início da vida das crianças para reduzir o aparecimento de doenças orais em idade pediátrica. 

Desde o momento em que aparece o primeiro dente, até aos 3 anos, recomenda-se que os pais pratiquem higiene oral nas crianças, recorrendo a uma gaze, dedeira ou escova macia. A partir dos 3 anos, as crianças devem escovar os dentes, pelo menos, duas vezes por dia. 

Como meio de prevenção e tratamento precoce das doenças orais, são atribuídos cheques-dentista para crianças e jovens até aos 18 anos, independentemente da instituição de ensino que frequentem. 

Os cheques-dentista dão acesso a consultas de medicina dentária, e podem ser utilizados em qualquer zona do país, num médico aderente ao Programa Nacional de Promoção da Saúde Oral, disponível através de uma lista nacional.

Existem condições diferentes para adquirir o cheque-dentista, consoante cada idade pediátrica: